• Marcelo Araújo

Patrimônio Natural virando cinzas


A tragédia no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, no Norte Goiano, comoveu o país. Um incêndio iniciado há 15 dias já destruiu quase 30% da região, matando animais e a vegetação. Felizmente, não houve registro da morte de seres humanos, porém pode levar décadas para se reparar parte dos estragos, sendo que alguns danos ao meio ambiente talvez sejam irreversíveis.

foto: divulgação ICMBio

A catástrofe motivou uma grande campanha pelas redes sociais, mobilizando, inclusive celebridades, como os atores globais Mateus Solano e Cauã Reymond, e a top model Gisele Bündchen. Pela web, famosos e anônimos empreendem esforços para arrecadar recursos e voluntários para não só combater as chamas, como reconstruir o que virou cinzas.

Conversei esses dias com uma pessoa que trabalha na prefeitura de Cavalcante, um dos municípios da Chapada. Ela me contou que o clima geral é de tristeza, por conta da devastação causada pelo fogo.

Patrimônio Natural da Humanidade, título concedido pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), o Parque Nacional constitui a principal fonte de turismo para as cidades desta área.

O que surpreende nessa situação é a dificuldade do poder público em esboçar uma reação mais contundente não só em relação ao incêndio na Chapada como em tantas outras tragédias relacionadas a fenômenos naturais. Sabe-se que há séculos secas e enchentes atormentam a vida de moradores tanto dos centros urbanos quanto das zonas rurais, provocando, inclusive, a perda de vidas humanas. Bilhões são enviados todos os anos para “atender” a essas localidades, entretanto os recursos se perdem no ralo da corrupção em verdadeiras indústrias de exploração da miséria, operada por parasitas da pior espécie.

Países como Estados Unidos e Japão – só para ficarmos em dois exemplos – convivem com fenômenos naturais até mais agressivos que os nossos, como terremotos e tsunamis, fora mega incêndios como os que atingem a Califórnia. Há alguns anos, viajei a Israel, uma potência mundial, que tem boa parte de seu território situado em um deserto.

Com irrigação e outros recursos, esse povo consegue plantar e criar animais em pequenas propriedades em áreas onde originalmente só existia areia e pedras, sem contar com o aproveitamento do turismo em regiões como o Mar Morto.

Com vontade e criatividade se faz muito. Com a corrupção nada se consegue. Que um dia a gente vire essa página e dê mais valor à belíssima natureza que temos nesta imensa nação chamada Brasil. Ajudemos, de alguma maneira, a Chapada dos Veadeiros.

Marcelo Araújo é jornalista, escritor e colaborador da Se7e. Autor do blog www.tijoloblog.wordpress.com. Publicou os livros Não Abra – Contos de Terror, Pedaço Malpassado, A Maldição de Fio Vilela, A Testinha de Gabá e Casa dos Sons.


7 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
Anuncie aqui na Sete Cultura
banner 17 dias.jpg
pizzato.jpg

Os roteiros de cinema, shows, teatro, diversos, exposição e festas não são publicitários. Estes podem ser enviados para o nosso email contato@setecultura.com

Não nos responsabilizamos pelas modificações de última hora. 

As fotos utilizadas são de Divulgação.

Os artigos assinados não são de responsabilidade da Sete Cultura. Todos os direitos reservados. 

Reprodução proibida sem autorização por escrito.

Dúvidas, Anúncios e Programação

Envie seu email para:

contato@setecultura.com

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

@setecultura

© 2017 por Sete Ltda. Orgulhosamente criado com Wix.com